PASSENGERS (2016)

A expectativa em torno de “Passengers” justificava-se pelo fato de reunir duas das mais rentáveis estrelas da atualidade: Jennifer Lawrence e Chris Pratt. Com roteiro de Jon Spaihts e direção de Morten Tyldum, o filme chega aos cinemas com o desafio de mostrar que é mais do que uma simples reunião de astros e conquistar seu espaço em meio a tantas obras com temáticas similares.

passengersA história começa quando uma nave que transporta passageiros adormecidos da terra para um distante planeta habitável sofre um acidente no meio do caminho, causando uma falha no sistema que interrompe a hibernação de Jim (Pratt) 90 anos antes do previsto. Sozinho e sem alternativas, ele resolve acordar Aurora (Lawrence), uma jornalista que dormia ao seu lado, por quem desenvolve uma paixão platônica. A partir do momento em que Jim opta por esconder a verdade de companheira, já se sabe parte dos rumos da história, que não foge muito do padrão romântico com o qual estamos habituados. Enquanto isso, outras falhas no sistema decorrentes do acidente vão surgindo, ameaçando a segurança da tripulação e dos passageiros.

Além de abordar temas como comportamento humano diante de dilemas e adversidades, o filme retrata um fascinante defeito inerente ao ser que a indústria cultural adora renegar. No entanto, “Passengers” acaba caindo no lugar comum ao romantizar o egoísmo através de uma trama cujo desenvolvimento é previsível e acomodado, que tenta redimir o “herói” e justificar suas ações ao invés de forçá-lo a lidar com suas dolorosas consequências.

Apesar de propor uma situação intrigante, o roteirista Jon Spaihts falha ao criar um contexto repleto de incoerências. O público deve encontrar dificuldades para embarcar em uma história que narra uma viagem interplanetária de 120 anos feita exclusivamente no piloto automático, por exemplo.

Jennifer Lawrence e Chris Pratt cumprem bem seus papéis, apesar de trabalharem com personagens que não exigem muito de suas habilidades. Os atores até possuem certa química entre si, no entanto são sabotados por um roteiro que tenta forçar um romance desprovido de autenticidade.

A direção de Morten Tyldum não tem personalidade e reaproveita características de todas as famosas produções ambientadas no espaço. Porém é importante destacar o trabalho da direção de arte, que constrói um cenário futurista, claustrofóbico e solitário, contribuindo fortemente para a criação da atmosfera pretendida.

No fim das contas, trata-se de um filme esquecível e limitado, cuja única reflexão que desperta é sobre a generosa indenização que os personagens deveriam receber.


FICHA TÉCNICA:

Título original: Passengers
Título nacional: Passageiros
Gênero: Aventura, Drama, Romance
Duração: 1h 56min
Ano de lançamento: 2016
Direção: Morten Tyldum
Roteiro: Jon Spaihts
Elenco: Jennifer Lawrence, Chris Pratt, Michael Sheen

IMDb | Rotten Tomatoes | Filmow

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: