MANCHESTER BY THE SEA (2016)

Além do incentivo indireto à pirataria, outro grande problema do descaso que os distribuidores brasileiros demonstram com a importação dos filmes internacionais é a privação da nossa oportunidade de vê-los antes do surgimento do hype. Os exemplos mais recentes desse fenômeno dizem respeito aos favoritos ao Oscar 2017, que estão presentes no circuito internacional há meses, mas somente agora chegam ao Brasil. Esse tipo de notoriedade em torno das obras acaba criando uma expectativa que prejudica experiência de apreciá-las pela primeira vez. Mas este não é o caso de Manchester By The Sea, novo longa de Kenneth Lonergan que, por sorte, é grandioso o suficiente para sair ileso.

manchersterO filme segue a trajetória de Lee Chandler (Casey Affleck). Ao receber a notícia de que seu falecido irmão mais velho o deixara responsável pela guarda do filho adolescente, o apático e agressivo zelador se vê então obrigado a voltar para Manchester, sua cidade natal. Diante dessa premissa, que sugere tratar-se de amadurecimento e superação do luto, somos surpreendidos pela história densa e trágica de um homem assombrado pelos fantasmas de seu passado.

O roteiro de Lonergan cria um certo mistério em torno da motivação de Lee na medida em que desafia o espectador a descobrir a origem de seu comportamento e o motivo por trás da resistência que demonstra em se mudar novamente para Manchester, apesar de esta parecer ser a decisão mais correta. A excelente fotografia reforça esse aspecto ao evidenciar as qualidades da agradável cidade em que a história se passa, criando para ela uma imagem de “paraíso” que torna a relutância do personagem ainda mais intrigante.

Apesar de contar uma história extremamente carregada, o roteiro e a direção se preocupam em fugir do melodrama a todo custo. A omissão de algumas cenas e o distanciamento da câmera em momentos mais intensos de tristeza são exemplos disso. Essa sutileza é favorecida ainda pela utilização do humor de forma pontual e certeira. Também é importante chamar atenção para a montagem, que preserva a fluidez de uma narrativa que depende fortemente de flashbacks.

O desempenho de Casey Affleck é talvez é o que mais chama atenção no filme. O ator lida bem com o texto, mas a excelência de sua composição se dá através de olhares e de linguagem corporal, uma vez que Lee é um homem de poucas palavras. O mais impressionante é sua capacidade de preservar a essência do personagem enquanto transita por cargas emocionais tão distintas nas cenas de passado e presente.

O diretor, roteirista e ocasionalmente ator Kenneth Lonergan assume aqui a responsabilidade de retratar alguns dos sentimentos humanos mais devastadores, e o faz de forma realista e sensível com a ajuda do fenomenal Casey Affleck. Tecnicamente impecável, Manchester By The Sea é um filme surpreendente, capaz de partir o coração do espectador somente para fazê-lo sorrir minutos depois.


FICHA TÉCNICA: 

Título original: Manchester by the Sea
Título nacional: Manchester À Beira-Mar
Gênero: Drama
Duração: 2h 17min
Ano de lançamento: 2016
Direção: Kenneth Lonergan
Roteiro: Kenneth Lonergan
Elenco: Casey Affleck, Michelle Williams, Kyle Chandler

IMDb | Rotten Tomatoes | Filmow

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: