CRÍTICA: ANIMAIS FANTÁSTICOS: OS CRIMES DE GRINDELWALD (2018)

Texto escrito por Bárbara Jenis

“Animais Fantásticos e os crimes de Grindelwald” (2018) é mais um filme do universo mágico de Harry Potter, e é o segundo da saga intitulada “Animais Fantásticos”, que estreou em 2016.

A história se passa em 1927, em Paris, onde o Ministério da Magia Francês e Newt Scamander, que foi chamado por Alvo Dumbledore, tenta, a todo custo, encontrar Grindelwald. Tina e Jacob se envolvem na busca para tentar impedir que o vilão arquitete seus planos de recrutar bruxos fiéis à sua causa.

Além disso, Credence Barabore continua tendo um foco especial na trama, que envolve muitos mistérios sobre ele. A verdade ainda não foi revelada, mas de uma coisa temos certeza: ele é o obscurial mais velho já registrado pela história, e isso é o torna tão poderoso e especial para Gellert Grindelwald.

JStupidDForam deixadas muitas pontas no primeiro filme e nos trailers do segundo, como a personagem Leta Lestrange, a garota misteriosa de quem Newt guarda uma foto. O sobrenome de Leta despertou um alvoroço entre os fãs, pois Lestrange remete à uma bruxa que lutou fielmente ao lado de Lord Valdemord. Mas que ligação Newt pode ter com Leta e que ligação ela teria com o vilão? Sabemos que J. K. Rowling não dá um ponto sem nó e cada arco proposto no primeiro filme começa a ser desenvolvido neste. Neste segundo filme, muitas histórias que culminarão à frente surgem, como o irmão de Newt, Teseu Scamander. Essas histórias permitem aos fãs criarem teorias sobre o papel desses personagens na guerra, já que sabemos que a franquia terminará com a maior batalha que o mundo dos bruxos já havia visto.

Algumas cenas trarão uma empolgação especial aos fãs, como a aparição de Nicolau Flameu, personagem que já havia sido mencionado há 17 anos em “Harry Potter e a pedra Filosofal”, o alquimista nos é apresentado de forma cômica e excêntrica. Outra cena nostálgica mostra o professor Dumbledore lecionando em Hogwarts. A famosa Nagini, que tanto repercutiu após o último trailer, aparece no circo de horrores, mas pouco se sabe sobre sua personagem até o momento, somente sua proximidade com Credence, que aparece depois de seu sumir misteriosamente no final do outro longa.

Jude Law cai como uma luva para o papel de Alvo Dumbledore, que já aparece com a personalidade que conhecemos: aparições excêntricas e muitos segredos.

A respeito de Newt, se no primeiro filme você gostou do personagem, saiba que o segundo fará com que laços ainda mais fortes sejam criados entre ele e o espectador. A atuação de Eddie Redmayne é impecável, o que torna o personagem ainda mais carismático. Somos também apresentados a cenas de seu passado, que contribuem para a construção desse carisma.

O filme funciona como uma transição para os próximos três, e, com tantos personagens relevantes para o enredo, algumas outras pontas ficam soltas aparecem no roteiro para que possam ser amarradas nos filmes posteriores da franquia. Entretanto, quem gosta de uma história em que o foco narrativo não seja centrado em um único personagem, não verá isso como um problema. Cada historieta faz parte de uma grande teia narrativa.

Agora sobre Johnny Depp. Muitos fãs estão insatisfeitos com a roteirista, por defender sua escalação e a produção por aceitar o ator no spin off por conta da acusação de agressão de sua ex-esposa, Amber Heard. Muitos declararam sua indignação e já falaram em boicotar o filme. Para quem apoia a ideia do boicote, será extremamente desconfortável assistir ao filme nos cinemas.

Por mais que eu entenda a importância desse boicote, é preciso dizer que a atuação do vilão, quando analisada dentro dos limites da narrativa, não deixa a desejar em nenhum momento. Grindelwald é um vilão com ideais fortes e o ator as consegue mostrar de forma convincente.

Logo, quem acompanhou a acusação de Heard a Depp, mas é fã do universo de Rowling, ficará, pelo menos, em cima do muro. Sabemos que ninguém é insubstituível, mas os devemos dar a César o que é de César. Além do mais, acredito que não seja errado deixar de apreciar a obra nas telas do cinemas por causa de um ator, em meio a tantos outros incríveis aspectos narrativos e a uma produção mágica.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s