“HOMENS DE PRETO: INTERNACIONAL” -DESNECESSÁRIO E REPETITIVO

Há mais de 20 anos, nos foi apresentado um universo novo, onde homens de preto defendiam a terra de ameaças extraterrestres. O sucesso do filme, sem sombra de dúvidas, foi marcado pelas atuações de Will Smith (Agente J) e Tommy Lee Jones (Agente K). A dupla de atores ficou conhecida pela interação cheia de carisma na trilogia. Agora, 7 anos após a última estréia, o filme quebra com o que foi apresentado por Barry Sonnenfeld, diretor da trilogia.

Continuar lendo ““HOMENS DE PRETO: INTERNACIONAL” -DESNECESSÁRIO E REPETITIVO”

Anúncios

LISTAS: 7 SÉRIES ADAPTADAS DE LIVROS

A literatura, talvez, seja a arte que mais inspira adaptações. Recentemente, as emissoras têm acertado incrivelmente na escolha de obras a serem adaptadas, resultando em sucesso de crítica e audiência, despertando milhões de fãs. “Big Little Lies” é uma delas. Bem recebida pela crítica e público, a estreia da segunda temporada está marcada para o próximo dia 9. Por isso, listamos abaixo 7 obras literárias que foram bem adaptadas para a TV ou streaming.

Continuar lendo “LISTAS: 7 SÉRIES ADAPTADAS DE LIVROS”

CRÍTICA: “ALADDIN” (2019) – DISNEY E A PROFUSÃO DOS LIVE-ACTION

Mesmo para aqueles que não são fãs da clássica animação da Disney, produzida nos anos 90, é impossível não sentir a nostalgia assim que se inicia a primeira batida da trilha sonora de Aladdin de 2019. Talvez seja um trabalho mais desafiador para a produção atual, uma vez que a primeira versão se tornou um clássico com sucesso de críticas. Portanto, é quase impossível analisar sem fazer comparações. A Disney, desde 2015, com Cinderela, tem apostado na produção de live-actions, recriando animações clássicas que encantaram e vem acumulando fãs de muitas gerações. Entre os que foram produzidos recentemente, Aladdin é, sem dúvidas, a proposta que mais acertou na releitura.

Continuar lendo “CRÍTICA: “ALADDIN” (2019) – DISNEY E A PROFUSÃO DOS LIVE-ACTION”

LITERATURA: O OLHO MAIS AZUL (1970)

O olho mais azul conta a história de uma menina negra que foi humilhada e inferiorizada por todos que a cercaram durante toda a sua vida. Pecola, a personagem principal, cresceu observando meninas brancas de olhos azuis recebendo o amor e o carinho que tanto lhe foi negado e, por isso, acreditava que se tivesse tais características o mundo a veria de outra forma e todos os seus problemas seriam resolvidos. A narrativa é fragmentada e em cada momento é apresentado ao leitor a história de um personagem até o momento em que sua vida cruza com a de Pecola. Continuar lendo “LITERATURA: O OLHO MAIS AZUL (1970)”

LITERATURA: A VELOCIDADE DA LUZ (2002)

“Talvez isso seja a literatura: a arte de revelar enquanto se esconde e de esconder enquanto se revela.”, disse Javier Cercas e é exatamente isso o que o escritor espanhol faz em A velocidade da luz. A obra conta a história de um espanhol aspirante a escritor que recebe um convite para lecionar em uma universidade nos Estados Unidos, na cidade de Urbana, no final dos anos 80. Lá, o narrador, cujo nome não é revelado, divide sala no departamento de Letras com um homem excêntrico, culto e ex-combatente de guerra chamado Rodney Falk.  Continuar lendo “LITERATURA: A VELOCIDADE DA LUZ (2002)”

RESENHA: OBJETOS CORTANTES (2006)

Se o papel da literatura é trazer uma reflexão sobre a realidade, esse livro cumpre seu papel nos mostrando como as relações que vivemos na infância e com a família podem nos marcar e trazer problemas psicológicos que nos acompanharão em todas as relações e por toda a vida. Objetos Cortantes, primeiro livro de Gillian Flynn, publicado em 2006 e traduzido para o Português Brasileiro em 2015, é uma narrativa de mulheres intensas. Continuar lendo “RESENHA: OBJETOS CORTANTES (2006)”